CROWDFUNDING PARA STARTUP É UMA BOA FONTE DE CAPITAL

setembro 13, 2018

Jorge Advogados

, , , , ,


Você tem uma ideia brilhante, uma equipe dedicada e todo um mercado a ser explorado. Mas falta dinheiro para desenvolvimento, testes, marketing, expansão, logística. E sem recursos, seu projeto não é nada mais do que um sonho bonito, porém irrealizável. Uma sugestão do escritório Jorge Advogados  é adotar um modelo de crowdfounding para startup. Já pensou nisso? Sabe o que é e como funciona?

O crowdfounding para startup é um tipo de financiamento coletivo. É captar dinheiro de várias fontes diferentes, usando plataformas digitais bem simples. É permitir que pessoas sem muito capital possam participar da sua jornada. De grão em grão, você conseguirá, rapidamente, o volume de recursos necessários para construir uma corporação de sucesso!

Como organizar uma crowfunding para startup?

A captação é feita pela internet. Existem diversos sites de financiamento coletivo, em que é possível cadastrar sua proposta e abrir uma campanha de arrecadação. Clique aqui para ver 10 plataformas deste tipo. Entre elas, há algumas específicas para startups. Analise detalhadamente os sites, buscando aquele que mais combina com seus propósitos. Não se esqueça de verificar se há queixas contra ele. Pesquise, por exemplo, no Reclame Aqui.

Conte para os amigos!

O segundo passo de um crowfunding para startup é providenciar uma boa divulgação. Comece avisando seus familiares e melhores amigos, depois fale com antigos chefes e colegas de trabalho. Busque, no Linkedin, conhecidos que poderiam ter interesse em colaborar financeiramente para a construção de uma empresa, em troca de uma recompensa.

E qual é a recompensa?

Crowdfounding para startup não é doação de dinheiro. É um investimento. E existem regras estabelecidas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), por meio da publicação da Instrução 588, no ano passado.

Só podem recorrer a este tipo de financiamento as startups com faturamento anual até R$ 10 milhões. Se você já ultrapassou este teto, pode parar de ler este artigo e buscar outro tipo de capital, como o proveniente de investidor anjo, sobre o qual falamos recentemente.

O máximo que as startups podem captar com o crowdfounding é R$ 5 milhões. E o que os investidores levam em troca? Bom, você pode oferecer uma participação societária (equity) ou títulos conversíveis em equity. A diferença é que, no primeiro formato, estará cedendo parte da empresa. E no segundo, créditos ou títulos que no futuro poderão ser trocados por ações ou por um reembolso financeiro.

Jorge Advogados

E aí vai uma dica final: não busque recursos de crowdfoundig para startup ou de qualquer outra fonte sem primeiro ter todo o processo analisado por um advogado especialista em direito empresarial e tributário. É o futuro do seu negócio que está em jogo. Um passo mal dado poderá trazer sérios prejuízos lá na frente. E até, em casos mais drásticos, tirar você do comando do seu sonho. Já pensou investir tanto tempo, energia e dinheiro para depois perder tudo, só porque descuidou da parte burocrática? Não corra esse risco desnecessário. Se tiver qualquer dúvida sobre crowdfounding para startup, fale com nossos especialistas agora mesmo! 

Compartilhar noticias: